domingo, 4 de junho de 2017

Aquela gordinha não me sai da cabeça

Começo a achar que isto das gordinhas, é como virar gay! ...uma viagem sem retorno. :)

Hoje fui à missa. "Wow! Foste onde?" - pergunta quem em conhece. É que eu sou um fervoroso Ateu, costumo dizer que sou Agnóstico em público e Ateu em privado. Eu acho que os Agnósticos são Ateus que não estão para se chatear.

Onde é que eu ia? Ah, na missa. Pois, estive cerca de 75 minutos na "casa do Senhor" e não peguei fogo! :p
Verdade seja dita, foi a "Profissão de Fé" da minha afilhada. Parece que eu era o padrinho mais reticente e se eu não fosse à cerimónia todos os outros padrinhos seriam excluídos da mesma, ou seja, a parte de ir levar a vela aos pequenos seria feita pelos pais. Portanto, fui à missa e participei!! Wow!
(até vieram as lágrimas aos olhos à minha afilhada quando me viu na igreja... coitada, tão nova e já tão traumatizada...) 
Até pisei o altar com estes dois pés que a terra há-de comer. A terra, o fogo, um cardume de piranhas, logo se vê quem chega primeiro.

Eu cheguei, dirigi-me ao banco reservado aos padrinhos (bem lá na frente) e sentei-me sozinho, dois lugares ao lado de uma miúda de 5 ou 6 anos. De seguida o banco ficou preenchido: à minha direita a miúda mais atraente daquela igreja (tem uma "rodagem" valente, mas uma coisa não invalida a outra), à minha esquerda uma gordinha, toda arranjada prá missa de domingo, toda apertada, saltos altos e maquilhada, nervosaaaaaa que se sentia à distância.
(portanto a parte dos beijinhos não foi má de todo... :D )

A da esquerda... é pra esquecer. Não faço ideia o que foi feito dela ao longo dos anos, mas sei perfeitamente o que foi feito dela, até ela ter 20... 22 anos. Deve andar nos 30 agora, se tanto.

Mas a gordinha... opá, não me saiu da cabeça. A verdade é que estávamos tão apertados, que acabámos por estar muito próximos naquela hora e um quarto da minha vida que nunca mais vou conseguir recuperar, o que não foi bom, pois não deu para trocar um olhar, nem tirar as medidas todas. Não percebo, nunca fui especialmente atraído por mulheres gordinhas, mas, desde que tive uma namorada gordinha, que passei a apreciar o género! 

Isto foi um episódio isolado e não faço ideia quem seja a miúda. Já perguntei, mas fiquei a saber o mesmo. E neste momento, continuo super "escaldado", para ser sincero e mais depressa monto outro aquário, do que vou sair atrás duma miúda.

Estou a pensar num com cerca de 200 litros, o que acham?

Eu sei... eu também adoro a forma como encarrilho os temas e a pessoa quando chega ao fim do post tem vontade de o ler de novo para perceber o que quer comentar. Faz parte do meu encanto :)

6 comentários:

  1. As gordinhas até são simpáticas... e são bem bonitas, muitas delas... e depois, o que é que uma gordinha... tem a ver com o que a outra gordinha, te possa fazer lembrar?...
    É como comparares um carapau com uma sardinha... cada pessoa é como cada qual... não se pode generalizar... e fazer umas pessoas pagar pelos erros ou defeitos das outras... se o fizeres... quem perde mais és tu... porque quem te deixou más memórias, continuará a ter um poder imenso sobre ti...
    Olha-me outro... :-D Também sou agnóstica! Para mim, as igrejas têm de estar vazias, para eu gostar de estar dentro delas...
    Bjs! Boa semana!
    Vou espreitar aqui uns postzitos teus, que tenho andado meio afastada daqui... mas o tempo... "evaropa-se"...
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "o que é que uma gordinha... tem a ver com o que a outra gordinha, te possa fazer lembrar?"
      R: a timidez e outros pormenores mais sórdidos que a minha cabeça começa logo a conjecturar.

      "porque quem te deixou más memórias, continuará a ter um poder imenso sobre ti..." - pelo contrário, até sou uma pessoa que aprende muito com as experiências, mesmo as más. MAs memórias são memórias e prefiro recordar, do que viver com medo do passado. Quem teme o passado é porque lhe deve alguma coisa.

      Eu dispenso igrejas. Vejo-as como um museu, ou uma outra coisa qualquer que faz parte do mundo em que vivo, sem lhe dar mais importância do que a uma paisagem que posso vislumbrar em muitos pontos da natureza.

      Força.
      Bjs

      Eliminar
  2. Até poderia fazer uma dissertação sobre o assunto, mas a experiência fala por si!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Eli, bem vinda.
      às vezes fala... fala.. fala.. ;)

      Eliminar
  3. Encarrilha ai um aquário com menos capacidade e o destino encarrilha uma daquelas coincidências maradas e matreiras com a Mulher que na missa, se sentou ao teu lado e te deixou às voltas, como os teus queridos peixes.
    Mimos de volta ;)

    ResponderEliminar