quinta-feira, 20 de julho de 2017

A saudade

É uma puta, besta, sádica...

Estou bem, mas tenho saudades tuas.
Não te quero ver mais, mas tenho saudades de te ver.

Nunca te procurei porque não quero mais aquila que tinha da tua parte. O meu amor próprio é maior do que eu.

Parte de mim achou que tu eras o meu futuro, o meu tudo. Hoje tenho medo que essa parte de mim fosse escrava da minga imaginação.

Mataste as outras mulheres para mim.
Espero ressuscitá-las um dia...

Devia mudar o título deste blogue, pois tudo o que procuro numa mulher - neste momento - não é o coração. E mesmo aí, não deixo de pensar em ti, para terminar o que faço ali.

Gostava de te odiar, ou amar, mas recuso-me a acreditar.

Natureza minha...

Amiga de longa data: "Não testes as pessoas..."
Eu: "Não consigo evitar."

É o meu mecanismo de defesa mais antigo. Quanto mais quero alguém, mais vou testar essa pessoa, ou analisar cada situação e "classificar" como ela se sai.

A idade só me ensinou a não me fechar e falar com as pessoas honestamente... ainda mais honestamente.

Atenção, a honestidade não pode servir de desculpa para a ser bruto, ou ordinário. Ser honesto não pode bloquear a intenção de não magoar os sentimentos dos outros.