quarta-feira, 17 de maio de 2017

A Data

Uma manhã de Maio
A data que não esqueço
Uma ambulância, um desmaio
Um amor que não mereço...

Uma cara que me lembra a tua
O medalhão que te dei e vi
Numa loja daquela rua
Enaltece o que senti...

A data que não esqueço
Desse dia que é o teu.

Recordo com amargura
Ouço aquela música
E ainda faço uma loucura...

4 comentários:

  1. Oh, homem! Tu não faças uma loucura... que tens peixinhos pequeninos para criar... :-D
    Mas gostei do poema! Tens imenso jeito!...
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar